TEACHmi- TEACHER PREPARATION FOR MIGRATION SCHOOL INCLUSION

O projeto TEACHmi – “Teacher preparation for migrant school inclusion” é um projeto internacional constituído por um consórcio de 6 países, nomeadamente Portugal, Bélgica, Itália, Grécia, Chipre e Bulgária. É um projeto com financiamento externo no âmbito do Programa Erasmus + Key Action (KA3) que visa o desenvolvimento de projetos que incentivem a implementação de novas práticas sociais passiveis de serem transformadas em recomendações da politica publica setorial a qual se dirige.


O Projeto Teachmi visa construir ferramentas eficazes, material didáctico e directrizes não só para professores com turmas multiculturais, mas também para líderes escolares e partes interessadas, a fim de facilitar a integração de estudantes com origem migrante nas escolas, tornando o ambiente escolar mais inclusivo.


A duração de 36 meses da implementação do projecto Teachmi centra-se no reforço do papel da educação, promovendo os valores comuns da UE de tolerância e não-discriminação, ao mesmo tempo que coloca a ênfase no reforço da coesão social.


Descrição do ponto de partida do projeto


O projeto é proposto ao Observatório de Cidadania e Intervenção Social (OCIS) da Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra, por parte da Universidade Grega de Piréus.


Nasce da necessidade sentida pelas escolas secundárias europeias em possuírem estratégias e referenciais pedagógicos que lhes permitam intervir junto dos/as alunos/as migrantes e refugiados de forma eficaz potenciando não só a sua inclusão na cultura europeia de ensino, mas respeitando, igualmente, o seu capital cultural.


A educação é um fator importante não só de integração, mas também de mobilidade social. A escola é um espaço de socialização, mas também de aquisição de relações e laços sociais para este jovens. A tradução intercultural é fundamental para que estes objetivos sejam eficazes e possíveis de serem alcançados com sucesso.


Processo de planeamento do projeto


O OCIS faz parte da rede de parceiros deste projeto e é o coordenador a nível nacional. Nesta qualidade, quando foi convidado já a conceção do projeto estava desenhada pelos coordenadores (Universidade de Piréus). O maior desafio que este projeto tem enfrentado é a Pandemia COVID 19. Aliás o primeiro ano do Projeto respeita o ano de Pandemia. O estudo em colaboração com as escolas tem sido mais lento do que o desejável pois enfrentámos, desde logo, a quarentena e os desafios colocados ao sistema Escolar para se adequarem a este contexto.


Uma forma de contornar estes obstáculo foi conseguida através do protocolo estabelecido com a Cooperativa de Intervenção Social e Artística – Propella que através do recurso ao documentário e à imagem, nos permitiu contatar as famílias refugiadas e estabelecer relações de familiaridade e de confiança, podendo ouvir na primeira pessoa as suas dificuldades, ambições, sonhos e expetativas face à comunidade portuguesa e à sua inclusão escolar, social e pessoal.


Abertura à comunidade estudantil


Os alunos participaram através das Unidades Curriculares optativas de projeto de investigação.




Conselho/s para futuros investigadores

A dinâmica social está em permanente mudança e os futuros investigadores sociais devem possuir esta capacidade de ler o que os circunda e caso queiram (como é no TEACHMI) ter um atitude transformadora e de intervenção social é importante imergirem nesta realidade. Não a compreender só através dos olhos dos outros (livros, artigos, outros autores) mas compreender o mundo vivido pelos sujeitos. Como estes o equacionam e como eles são, igualmente, agentes de mudança.



Mais informações em https://www.teachmi.eu/