Projetos de Investigação em Doutoramento

Qual o processo de criação e desenvolvimento dos projetos de investigação?


A FPCEUC oferece um leque de opções vasto para a realização de projetos de doutoramento. O processo inicia com a escolha da tipologia e estrutura do plano de estudos, que poderá ser realizado com curso, frequentando durante o primeiro ano diferentes unidades curriculares, durante as quais é criado e estruturado o projeto de doutoramento a ser desenvolvido nos anos seguintes; ou sem curso. Neste último caso, o processo de candidatura a doutoramento obedece a diferentes requisitos. O primeiro, a aceitação por parte de um/a orientador/a, professor/a da FPCEUC. Esta procura poderá ser realizada por meios próprios, ou através do preenchimento de um formulário disponível no site da FPCEUC (https://www.fpce.uc.pt/semcurso/). Após a atribuição de um orientador/a, o aluno deve proceder a candidatura a esta modalidade, que requer aprovação do Conselho Científico da FPCEUC (dependendo do projeto apresentado poderá ainda carecer de aprovação pelo Conselho de Ética da FPCEUC). Durante a fase de candidatura é desenvolvido em pormenor o projeto de dissertação, partindo da questão de investigação (o que pretende provar), até à metodologia de investigação (plano de investigação, metas, definição da amostra, instrumentos, entre outros).


Como funciona a candidatura bolsas de investigação em doutoramento e quais as suas mais valias?


Após aprovação do projeto pela unidade de acolhimento, o candidato poderá decidir candidatar-se a bolsa de investigação. A Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) recebe anualmente milhares de candidaturas a bolsas de doutoramento, sendo a instituição que mais bolsas de doutoramento financia. Porém, existem outras opções público-privadas, que poderão esporadicamente apoiar os estudantes neste ciclo de estudos, sendo, por norma, apoios muito específicos a determinadas áreas. Caso não receba aprovação poderá sempre avançar com fundos próprios, tal como noutros ciclos de estudo.


Que conselho pode deixar aos estudantes e futuros investigadores?


A opção por frequentar o terceiro ciclo de estudos (com vários anos), criar um projeto de doutoramento, ultrapassar um processo demoroso com persistência e resiliência, é uma decisão que não deve ser tomada de ânimo leve. É para mim uma enorme vontade pessoal, uma conquista académica e profissional, partilhada por muitos estudantes, que sentem ou sentiram a necessidade de continuar a persecução dos seus estudos para o nível seguinte, independentemente dos obstáculos ou dificuldades. Esse é o meu conselho para todos/as aqueles/as que pensam em avançar, que o façam, com coragem, sabendo que o caminho é de muito trabalho, demoroso, mas também de uma realização imensa.